Domingo, 21 de Novembro de 2021

OS GRANDES FILÓSOFOS: HUME

OS GRANDES FILÓSOFOS- DAVID HUME

Encontrei na minha estante o livro “ Investigação Sobre o Entendimento Humano “ e “Diálogos Sobre a Religião Natural” do filósofo David Hume  e resolvi lê-lo. E é sobre ele que vou escrever este pequeno Texto.

1-David Hume é um filósofo da época iluminista. Nasceu em Edimburgo na Escócia em 1711 e desde cedo teve uma paixão pelas letras. Adam Smith foi seu contemporâneo e amigo íntimo. Hume tentou obter uma cátedra na Universidade de  Glasgow mas não conseguiu. Mais tarde foi colocado em Edimburgo numa vaga de bibliotecário na Faculdade de Advogados. Em1763 recebeu um convite para exercer as funções de secretário da Embaixada britânica em Paris. Aí acabou por se tornar protector de Rousseau e de acompanhá-lo a Inglaterra. Em 1769 estabeleceu-se definitivamente em Edimburgo. Em 1775 começou a sentir-se mal vindo a falecer em Agosto de 1776.

2-Dos livros que escreveu há a destacar os seguintes: Tratado da Natureza Humana, Investigação Sobre  o Entendimento Humano, Investigação sobre os Princípios Morais e História Natural da Religião.

3-Para Hume todas as nossas ideias e todos os nossos conceitos e conhecimentos derivam de percepções .Nada existe na mente a não ser as percepções que são de dois tipos diferentes: impressões e ideias.   As impressões incluem todas as nossas sensações, paixões e emoções.  As ideias são imagens débeis ou cópias das impressões. Para Hume é impossível pensar em algo que não tenha passado pelos nossos sentidos. Há no entanto termos filosóficos que escapam ao conceito de ideias. São eles : a substâncias, o eu ou mente e a causalidade. Para Hume  todas nossas percepções são substância. Também não existe um Eu distinto dos processos mentais transitórios. O Eu não tem realidade substancial é um resultado da imaginação. Só temos consciência das nossas emoções, desejos e outros conteúdos mentais. Todos os raciocínios acerca da realidade , observa Hume, baseiam-se na relação de causa e efeito, ou seja, no princípio da causalidade. Mas o conhecimento desta relação não pode ser atingido raciocinando” a priori” ou seja independentemente da experiência. Se tivermos uma bola de bilhar A com o nº 1 e se a movermos em direcção a outra bola B com o nº 2 de forma a chocar com ela, verificamos que a bola B com o nº 2 é posta em movimento. Concluímos assim que em circunstâncias idênticas a este caso particular é possível formular uma lei universal válida.

Um outro aspecto a focar na filosofia de Hume é que o seu empirismo levado às últimas consequências conduz a um cepticismo. O conhecimento não pode alcançar a verdade metafísica. A contemplação de ideias que não chegam a ser coisas não são mais que impressões subjectivas.

No  que toca à filosofia moral Hume não estabelece normas éticas ou morais de carácter universal. Para ele não se pode demonstrar como bom ou mau por argumentos racionais. Quanto à Religião verificamos com mais evidência o seu cepticismo. A substancialidade, a imortalidade da alma e a existência de Deus não de podem demonstrar pela razão. Mas Hume esqueceu-se  que a não existência de Deus também não se pode demonstrar. Dada a complexidade das leis que regem o universo é mais lógico e racional que exista Deus. Do nada não pode vir nada.

4-Para concluir diria que Hume é um empirista céptico pois só admite o conhecimento que nos vem pela observação da natureza e pela experiência. É notória a sua hostilidade à Religião e à Metafísica. Mas a sua importância na história da filosofia tem a ver com a análise da causalidade.

publicado por pontodemira às 21:23
link | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
28
29
30


.posts recentes

. A TIRANIA DO MÉRITO

. UMA BREVE HISTÓRIA DA IGU...

. A SABEDORIA EM TEMPO DE C...

. A NOVA ARTE DA GUERRA- S...

. O PRÍNCIPE_ MAQUIAVEL

. A Consciência Do Limite

. O HOMEM EM BUSCA DE UM SE...

. VIVO ATÉ À MORTE

. A arte de viver em Deus- ...

. OS GRANDES FILÓSOFOS: HUM...

.arquivos

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub