Sexta-feira, 30 de Abril de 2021

COMO EVITAR UM DESASTRE CLIMÁTICO

 

 

Este é o título de um livro escrito por Bill Gates, empresário, filantropo e que fundou juntamente com Paul Allen a Microsoft. Neste livro o autor descreve as alterações climáticas que se estão a agravar de dia para dia, as causas que lhe dão origem e das soluções e inovações que é necessário fazer.

Logo no início Bill Gates diz-nos que há 50 mil milhões de emissões de gases com efeito de estufa que lançamos anualmente na atmosfera. Para travar o aquecimento global e evitar as piores consequências das alterações climáticas que se revelarão trágicas, a humanidade tem de parar de adicionar gases com feito de estufa na atmosfera. O que está na origem desta poluição é o consumo excessivo de combustíveis fósseis que são usados de diferentes maneiras: nos transportes terrestres, aéreos e marítimos ; no fabrico de energia eléctrica e também no fabrico de cimento e betâo.  Os gases com efeito de estufa aprisionam o calor na atmosfera provocando uma subida da temperatura à superfície do planeta. Quanto maior for a quantidade de gases maior é a subida da temperatura. Estes combustíveis são na verdade o resultado do carbono que foi armazenado no subsolo, graças a plantas que morreram há milhões de anos e foram convertidas em petróleo, carvão ou gás natural. Quando extraímos combustíveis fósseis e os queimamos emitimos dióxido de carbono que se acumula na atmosfera. A luz do sol, por exemplo, passa pela maioria dos gases com efeito de estufa sem ser absorvida. A maior parte atinge a Terra e aquece-a tal como sempre aconteceu. A Terra irradia alguma energia de volta para o espaço e parte é absorvida pelos gases com efeito de estufa. Ao activar as moléculas desses gases fá-los vibrar mais depressa aquecendo a atmosfera. Apenas as moléculas constituídas por diferentes átomos possuem a estrutura certa para absorver a radiação e começar a aquecer, o que acontece com o dióxido de carbono e o metano. O aquecimento da Terra vai provocar o aquecimento dos oceanos e causar o aumento dos furacões. Numas regiões chove de mais e noutras o cenário é de secas. Um clima mais quente significa um aumento do risco de incêndios florestais. Um outro efeito do aumento da temperatura é  a subida do nível dos mares. O fenómeno tem a ver com o derretimento das calotas polares e também porque a água do mar expande-se ao ser aquecida.

As alterações climáticas estão a tornar a vida mais difícil devido à ocorrência de ciclones, tempestades e enchentes. O calor também não  é bom para a actividade pecuária. Os animais serão também menos produtivos e têm mais probabilidades de morrer  cedo o que faz aumentar os preços da carne, dos ovos e dos lacticínios.  As comunidades que dependem da pesca  encontrarão também problemas. O número de pessoas que terá dificuldade em obter água potável duplicará. Por outro lado os efeitos das alterações climáticas  são cumulativos. Os mosquitos, por exemplo, começarão a viver noutro locais à medida que o planeta aquecer e irâo a abandonar as regiões mais secas em troca de outras mais húmidas. E passaremos a ter  casos de malária e outras doenças transmissíveis por insectos onde nunca existiram.

Para reverter esta situação que se adivinha catastrófica para a humanidade é necessário substituir os combustíveis fósseis por energias limpas e renováveis como as fotovoltaicas e as eólicas. Se isso não for feito as emissões de carbono continuarão a aumentar e caminharemos para um desastre ambiental. Para que a descarbonização possa ter êxito é necessário o esforço conjunto de todos: cidadãos, empresários, cientistas e de um compromisso assumido por todos os Estados, sobretudo os mais poluidores a nível internacional.  Os cidadãos devem preferir no futuro os carros eléctricos, escolher máquinas que gastem menos energia, optar por lâmpadas LED e evitar o consumo excessivo de carne, pois as vacas são altamente poluidoras. Os empresários devem investir em equipamentos inovadores e amigos do ambiente. Aos cientistas compete descobrir novas técnicas ou aperfeiçoar as que já existem de forma a melhorar o ar que respiramos. Aos Estados pertence investir em energias limpas e fixar metas para diminuir os gases com efeito de estufa.

Para terminar vou transcrever o que Bill Gates diz  no final do livro : «  Quando temos uma visão das alterações climáticas baseadas em factos, percebemos que temos algumas ferramentas para evitar um desastre eminente,  mas não todas. Identificamos os obstáculos que nos impedem de implementar soluções disponíveis e de  desenvolver as inovações que nos faltam. E vemos o que precisamos de fazer para superar obstáculos. Se nos mantivermos focados ao objectivo- a eliminação de gases com efeito de estufa- e fizermos planos concretos para o atingir, seremos capazes de evitar um desastre climático. Podemos manter o planeta habitável, ajudar centenas de milhões de pessoas pobres a tirar o máximo de proveito das suas vidas e preservar um lugar para as gerações futuras.» 

Nota final: Bill Gates sugere ainda duas soluções para a descarbonização do ar:  A 1ª seria a instalação de centrais de captura do dióxido de carbono do ar ( CDA ) ; A 2ª consisitiria através da geoengenharia espalhar partículas minúsculas nas camadas superiores da atmosfera de forma a dispersar a luz solar e causar a descida da temperatura. A outra hipótese seria tornar as nuvens mais claras através pulverização de um spray de sal o que aumentaria a capacidade   de reflexão reduzindo assim a temperatura da superfície da Terra.

E Bill Gates acrescenta que a geoengenharia é a única capaz de reverter os efeitos do aquecimento global sem consequências diretas na economia

Para terminar diria eu que é nosso dever preservar  o planeta Terra e deixá-lo aos vindouros em condições de ser habitável e de poderem também como nós usufruir das suas maravilhas.

 

publicado por pontodemira às 21:46
link | favorito (1)
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. AQUILO EM QUE CREIO

. COMO EVITAR UM DESASTRE C...

. SONHEMOS JUNTOSO- CAMINHO...

. EUTANÁSIA: SIM OU NÃO

. O REGRESSO DA ULTRADIREIT...

. DEUS E O MERCADO

. A TERRA INABITÁVEL-Como v...

. CARTA ENCÍCLICA: FRATELLI...

. A Democracia em decadênci...

. BOA ECONOMIA PARA TEMPOS ...

.arquivos

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub