Quinta-feira, 29 de Maio de 2008

A BATALHA DE TRANCOSO

 

 

1-Comemora-se hoje o dia da batalha de Trancoso. Não se sabe ao certo qual foi o dia exacto em que os trancosenses mediram forças com os castelhanos.  Na opinião do Prof. Salvador Dias Arnaut este acontecimento teria ocorrido provavelmente num dos primeiros oito dias de Junho de 1385. Como a tradição tem muita força, durante longos anos o povo festejou a batalha de Trancoso no dia 25 de Abril. Se o combate se travou junto à ermida de S.Marcos e a festa deste Santo é precisamente nessa data tem toda a lógica a associação dos dois acontecimentos. Até 1974 o dia da batalha de Trancoso foi sempre uma festa popular e muito concorrida. Recordo-me que o comércio fechava de tarde e as crianças da escola e a população em geral deslocavam-se a pé e em cortejo ao planalto de S.Marcos. Depois dos discursos da ordem vinha o melhor da festa. As pessoas presentes procuravam um lugar aprazível à sombra dos pinheiros e comiam as merendas que traziam de casa.

 

2-Com a Revolução dos Cravos as comemorações foram relegadas para o dia 29 de Maio evitando desta maneira a sobreposição de feriados. Por que razão foi escolhida esta data ? Ao que parece foi encontrado em Espanha o túmulo de um combatente que teria morrido nesta data na batalha de Trancoso. Ao fazer-se a conversão para o calendário do ano ( 1385 ) verificou-se que não havia coincidência com o dia da semana indicado no túmulo. Por isso alguma coisa estava errada: ou o dia do mês ou o dia da semana.

 

3-A questão das datas pouca importância tem e não deve demover-nos do seu real significado. A batalha de Trancoso insere-se no movimento revolucionário de 1385 que apoiava D.João I como rei de Portugal e consolidou a nossa independência ameaçada por Castela. O prévio entendimento do alcaide de Trancoso Gonçalo Vasques Coutinho com Martim Vasques da Cunha, que se encontravam desavindos, foi crucial para o bom êxito da batalha. A luta foi renhida e disso nos dá conta o cronista Fernão Lopes: “ e eraõ os guolpes taõ grandes  e asy expesos que os ouviaõ em Trancoso.E aperfiamdo asy por comprir suuas vomtades, foraõ os castelaoõs vemçidos e mortos todos, de guisa que dos homeis darmas naõ escaparaõ nenhuuns, salvo os ginetes e muitos que fugiraõ por eses momtes………E dos portugueses, a Deus graças, que he graõ maravilha e como milagre, naõ moreo nenhu capitaõ nem homem  de grande nem pequena comta que em chroniqua achemos para poer em escrito, salvo aqueles lavradores e aldeaõs de que hos ginetes mataraõ muitos como dito he. Pêro sede certos que de boa e pouca gemte naõ foy melhor ferida batalha amtre os portugueses e hos castelaõs de quãtas ouveraõ em toda a guerra que esta “

 

4-Embora muitos historiadores dêem pouco destaque a esta batalha a verdade é que ela tem capital importância e irá moralizar e dar ânimo para outras que se vão seguir, nomeadamente a de Aljubarrota. Terá algum sentido nos nossos dias comemorar esta batalha ? Pessoalmente penso que sim. Acho que é um dever de todos nós honrar o passado. Os que no planalto de S.Marcos lutaram por uma Pátria livre e independente devem ser credores do nosso respeito e da nossa homenagem. Honrar o passado só nos dignifica.

 

5-Nos dias de hoje é a batalha do desenvolvimento económico e social, o combate à pobreza e ao desemprego que deve estar na ordem de todas as prioridades. Para isso tem de ser combatida a apatia e acreditarmos nas nossas capacidades. Os trancosenses de 1385 mostraram-nos como a união pode vencer os maiores obstáculos e conseguir o que à partida parece perdido.

 

 

Francisco Martins

 

 

publicado por pontodemira às 22:54
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
28
29
30


.posts recentes

. A TIRANIA DO MÉRITO

. UMA BREVE HISTÓRIA DA IGU...

. A SABEDORIA EM TEMPO DE C...

. A NOVA ARTE DA GUERRA- S...

. O PRÍNCIPE_ MAQUIAVEL

. A Consciência Do Limite

. O HOMEM EM BUSCA DE UM SE...

. VIVO ATÉ À MORTE

. A arte de viver em Deus- ...

. OS GRANDES FILÓSOFOS: HUM...

.arquivos

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub