Segunda-feira, 4 de Fevereiro de 2008

Espaço público democrático

Na revista “ Visão “ aparece periodicamente uma página de José Gil  que tem por título “ Radar: Ensaio “. Esta página não é de fácil compreensão pois é utilizada   uma linguagem hermética que  tira algum sabor à leitura. Lê -se e tem de se voltar atrás para apreender o verdadeiro sentido do texto. Sendo ao autor filósofo é natural que prefira o exercício intelectual à clareza e à objectividade.

 

Na   “ Visão “ do dia 25/ 01/2008  José Gil desenvolve o tema a “ Tensão do Espaço Público “. Pelo seu raciocínio ficamos a saber que há um espaço público no qual as pessoas debatem as suas ideias e manifestam as suas opiniões publicamente. Em relação a esse espaço há a considerar duas tendências : uma aberta e expansionista e outra  que tende a fechar-se e a encolher esse espaço. A primeira diz respeito aos jornais, à rádio e aos blogs onde os cidadãos expõem  livremente e sem censura as suas ideias ;  a segunda tem a ver com o autoritarismo do Governo e com a televisão.

Quanto à primeira tendência subscrevo inteiramente o ponto de vista de José Gil. As cartas aos jornais, os artigos de opinião e os comentários na rádio são um facto indesmentível e uma realidade que ninguém contesta. A discussão e a participação em fóruns que envolvem questões ambientais e ecológicas interessa e motiva cada vez mais  pessoas. Em relação a tudo isto a minha concordância é total.

 

Passando para a segunda tendência a que procura encurtar o espaço público o meu ponto de vista é porém diferente. É certo que o Governo tomou medidas de carácter autoritário que têm provocado protestos de pessoas e de instituições. Há pessoas que se queixam de  falta de diálogo e de insensibilidade para os problemas que as afectam e querem ver resolvidos. As decisões por vezes são demasiado rápidas e requeriam um estudo mais aprofundado para serem  eficazes e atingirem os objectivos propostos. Dialogar é importante em democracia mas nenhum Governo pode ficar refém de  negociações . É sempre difícil senão impossível agradar a todos. Se é mau não dialogar a situação inversa, como aconteceu no Governo do Eng. Guterres, em que se cede ao peso das pressões e dos lobbies pode tornar um país ingovernável. Embora seja preciso corrigir muitos erros que se têm cometido estamos longe de poder afirmar como alguns querem que o Governo é fascista ou ditatorial. Nem tanto ao mar nem tanto à terra.

 

Vamos agora passar para a segunda força que impede o alargamento do espaço público e a que José Gil designa por televisão. Aqui a minha discordância é total. Não me parece que os canais públicos de televisão ( RTP 1 e 2 ) encurtem esse espaço. Os telejornais noticiam qualquer irregularidade cometida pelos políticos e não escondem as manifestações de protesto contra o governo ou de qualquer ministro sempre que elas acontecem. Há entrevistas a personalidades que estão na ordem do dia dentro e fora da política. No programa “ Prós e contras “ debatem-se os mais diversos assuntos da actualidade com a participação de pessoas, técnicos e especialistas de várias tendências e correntes de opinião. Os “ Gatos Fedorentos “ ridicularizaram até à exaustão o Primeiro-Ministro José Sócrates e outras figuras políticas da actualidade. Os bonecos da “ Contra informação “, satirizam toda a actualidade nacional e não apenas os políticos. Não me parece que haja qualquer censura à televisão ou se de facto há não transparece nada cá para fora. Estamos, assim, perante uma afirmação exagerada de José Gil. Poderei estar enganado mas os factos desmentem essa possibilidade. A política é uma Ciência e uma Arte. Em Ciência política temos aí muita gente competente. E não são só os professores doutores, economistas e políticos de todos os quadrantes. Toda a gente sabe dizer o que está mal e fazer diagnósticos. O problema é quando se passa da teoria à prática. Não basta saber muito. É preciso também saber governar.  Arte de governar implica dialogar e ouvir mas também tomar decisões firmes quando as circunstâncias assim o exigem. Para Platão os filósofos seriam os melhores governantes. Sei que José Gil é um bom filósofo. A minha dúvida é se seria também um bom político.

 

 

Francisco Martins

 

publicado por pontodemira às 12:28
link | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
28
29
30


.posts recentes

. A TIRANIA DO MÉRITO

. UMA BREVE HISTÓRIA DA IGU...

. A SABEDORIA EM TEMPO DE C...

. A NOVA ARTE DA GUERRA- S...

. O PRÍNCIPE_ MAQUIAVEL

. A Consciência Do Limite

. O HOMEM EM BUSCA DE UM SE...

. VIVO ATÉ À MORTE

. A arte de viver em Deus- ...

. OS GRANDES FILÓSOFOS: HUM...

.arquivos

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub