Sexta-feira, 16 de Novembro de 2007

Algumas notas sobre a visita ad limina dos bispos portugueses

 

Como os meios de comunicação social referiram o Papa Bento VI recebeu recentemente os bispos portugueses no âmbito da visita “ ad sacra limina apostolorum” ( ao túmulo dos apóstolos). Do relatório apresentado ao Papa conclui-se que há aspectos preocupantes a pedir uma reflexão. Verifica-se que têm diminuído o número de vocações, de baptizados, de pessoas que vão à missa aos domingos. Há também muita gente que se diz católica mas não é praticante. Estes casos não espantam porque são do conhecimento geral. Importa então saber a génese desta situação. Na minha modesta opinião por detrás deles estão factores endógenos e exógenos à própria Igreja. Passarei a analisar em primeiro lugar os últimos.

 

Vivemos uma época de materialismo que eu designaria pela filosofia dos “ ismos “: hedonismo, nihilismo e relativismo. Para o hedonismo a felicidade está no prazer. Gozar a vida , comer e beber bem . Já o escritor Horácio dizia nas suas Odes “ Carpe diem “( aproveita o dia) . Desfrutar o que a vida tem de bom não é pecado. O que é pecado é fazer disso um fim.. O nihilismo ( em latim nihil quer dizer nada ) entende que a vida e a existência não têm sentido. Tudo se reduz ao nada .Finalmente o relativismo  pensa que não há uma verdade absoluta. Não há bem nem mal, tudo é relativo.    De uma maneira geral as pessoas e particularmente a juventude não ficam imunes a estas filosofias.  Por outro lado as famílias de hoje já não são o que eram algumas décadas atrás. Não há tempo para dialogar com os filhos. A transmissão de cultura religiosa não existe. Os jornais que mais vendem são os tablóides ou seja os que relatam em pormenor os crimes, as misérias e os escândalos. Os programas nas televisões são de uma maneira geral medíocres. A informação religiosa quase não existe. Não me admira portanto que  haja menos vocações religiosas. A juventude é sem dúvida tributária desta situação. Convém no entanto abrir um parêntesis para referir que as vocações são  hoje mais sólidas porque são feitas por pessoas adultas que sabem o que querem.

 

Passarei agora a analisar as causas que têm a ver com a própria Igreja. O papa disse aos bispos que “ é preciso mudar o estilo de vida de organização da comunidade eclesial portuguesa e a mentalidade dos seus membros “ Há portanto um reconhecimento explícito de que as coisas não estão bem na igreja portuguesa e que é preciso mudar. Eu atrever-me-ia a dizer que é preciso mudar muito. Como disse o porta-voz da conferência episcopal,D. Carlos Azeredo ao jornal “ Público “ é necessário que os padres se virem mais para fora da igreja para os que não são católicos. Concordo perfeitamente. É preciso gastarem mais tempo no exterior ,ouvindo, escutando e dialogando com as pessoas, dispondo de mais tempo para quem necessita de ajuda. Respeito os monges de clausura mas aprecio e louvo ainda mais os religiosos e religiosas que se voltam para a sociedade  ajudando os que precisam nos hospitais, lares e instituições de solidariedade. Aprecio e admiro os missionários que nos diversos continentes , no sertão e nos sítios mais inóspitos não só divulgam o Evangelho mas têm uma acção pedagógica em diversos domínios: ensino,saúde, agricultura , artes e ofícios, etc.  .   Entendo ainda que se devia dar mais peso aos leigos, homens e mulheres , na igreja, desde que se sintam vocacionados para o fazer.  Não me parece que a crise de vocações esteja  no estatuto de celibato que se exige aos padres. A crise está mais no lado materialista dos dias de hoje. As pessoas pensam apenas nas carreiras que dão dinheiro e status social. Pessaoalmente admito que este estatuto deveria ser revisto de forma a ser colocado em termos de opção. O casamento não deveria ser entrave a quem tiver vocação para o sacerdócio.

 

Da análise que acabei de fazer e da ponderação  de todos as causas podemos concluir que há muito a fazer na igreja católica portuguesa. É uma tarefa conjunta que envolve padres e leigos ou seja de toda a comunidade. Mas a História diz-nos que houve sempre uma resposta para estes problemas. Homens e mulheres souberam com o seu exemplo e testemunho indicar o verdadeiro caminho para Deus. Como diz o Padre Anselmo Borges “é possível que a ciência e a técnica obscureçam a força do apelo religioso e de Deus. Mas permanecendo a finitude e a sua consciência, há-de erguer-se sempre a pergunta do Sentido último “

 

 

Francisco Martins

 

 

 

publicado por pontodemira às 19:53
link | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
28
29
30


.posts recentes

. A TIRANIA DO MÉRITO

. UMA BREVE HISTÓRIA DA IGU...

. A SABEDORIA EM TEMPO DE C...

. A NOVA ARTE DA GUERRA- S...

. O PRÍNCIPE_ MAQUIAVEL

. A Consciência Do Limite

. O HOMEM EM BUSCA DE UM SE...

. VIVO ATÉ À MORTE

. A arte de viver em Deus- ...

. OS GRANDES FILÓSOFOS: HUM...

.arquivos

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub