Quinta-feira, 8 de Fevereiro de 2024

A BÍBLIA TINHA RAZÃO

 

Este é um livro escrito  pelo padre Jesuíta Francisco Martins, professor de literatura bíblica na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Neste livro o autor faz uma análise crítica, literária e teológica dos vários livros que compõem o Antigo Testamento. É um facto que a Bíblia não pode ser interpretada de forma literal. É necessário um estudo heurístico dos vários textos. Nela vamos encontrar vários géneros  literários. O padre Carreira das Neves no livro intitulado « A Bíblia – O Livro dos Livros » indica mesmo 6 géneros : 1- O Mito da Criação ( Génesis ); 2-Grandes Sagas ( Saga de Moisés ) , 3-Grandes Provações ( O dilúvio ) ;4-Grandes Sacrifícios ( Os sacrifícios no Levítico ), 5. Os Grandes Poemas ( Cântico dos Cânticos e Salmos ) ;6- Grandes Profetas ( Livro de Isaías, Livro de Emmanuel )

E depois desta breve introdução passo a citar os aspectos mais relevantes do livro atrás citado.  As três fontes que  servem de base ao estudo científico da História de Israel Antigo são:  a Bíblia, as descobertas arqueológicas e os achados epigráficos. Os mais antigos documentos bíblicos datam do século VII a.c. e são os chamados manuscritos de Qumram. Há  também  a referir os códices mais antigos do século IV, V d.c. contendo juntamente com o Novo Testamento, a tradução grega dos livros do Antigo Testamento em hebraico e arameu e a chamada Bíblia do Setenta ou Septuaginta em Latim que data do período helenístico  ( século III a.c. )

-O Livro do Génesis  diz.nos que Jacob teve 12 filhos que segundo o relato bíblico dão origem às doze tribos de Israel.  Os ciclos de Abraão e de Isac parece ter como pano de fundo a zona Sul da terra de Canaã ( o futuro território de Judá ao passo que o ciclo de Jacob se desenrola principalmente na zona de Efraim ( centro geográfico e político do futuro reino de Israel )

- O Êxodo. A fome em Canaã forçou o patriarca Abraão e a sua família a descer ao Egipto pouco tempo depois de terem chegado à terra prometida. Jacob enviou os filhos ao Egipto em busca de trigo num período de carestia. Depois de muitos anos de opressão, Moisés torna-se o escolhido de Yahvé para enfrentar o faraó do Egipto e libertar o povo da escravidão. As dez « pragas do Egipto » e  a « separação das águas do Mar Vermelho », irão facilitar a fuga. O Êxodo acabará por vir a ocupar um lugar de destaque na Bíblia, que enquanto « história de histórias», é um produto do trabalho  dos escribas do Sul, o reino de Judá.

- O Deus da Biblia- A História de Yahvé.  A divindade chamada Yahvé começou por se apresentar com outro nome : « El Chadai ». Ambos são uma e a mesma divindade. A PALAVRA « Israel » contém o elemento teofórico « El ». El tornou-se em hebraico o nome genérico de « deus ». No fundo El era equivalente, no Levante, de Zeus na Grécia e Júpiter em Roma. Yahvé provém da região ( Seir, Edom ) na qual este grupo étnico lançou as suas raízes e emergiu como entidade étnica durante o século XIII a.c.. Na transição para o primeiro milénio já se começa a anunciar a emergência do que viria a ser os  dois« reinos irmãos » de Israel ao Norte e de Judá ao Sul. O monoteísmo ( bíblico ) tem na figura de Moisés o seu primeiro e, de alguma forma, o seu máximo expoente. O monoteísmo  bíblico, na sua expressão mais estrita ( rejeição da existência de outros deuses além de yahvé) só terá emergido a partir do século VI a.c.) O exílio da Babilónia terá desempenhado um papel importante na reformulação da teoria local.

-Israel em Canaã: os livros de Josué e Juízes. Moisés morre às portas da terra prometida propriamente dita. E cabe ao seu sucessor Josué, liderar o povo na conquista. Josué dá início à repartição do país pelas nove tribos e meio restantes. O livro de Josué  refere-se repetidas vezes à prática de exterminar( herém) os habitantes das cidades cananeias conquistadas. O herém ou « anátema » bíblico que era aplicado em Jericó. Josué tomou também todas essas cidades e respectivos reis e passou-os ao fio da espada. O facto do herém muito provavelmente, nunca ter sido verdadeiramente praticado por Israel não invalida que se levantem questões de ordem teológica e ética a respeito do carácter de Deus da bíblia. Yahvé é uma divindade ciumenta e não olha a meios para garantir a fidelidade do povo que escolheu.

- O início da monarquia em Israel: Saul, David e Salomão.  Saul assegurou a monarquia em Israel e combateu contra todos os inimigos: Moabitas,Amonitas, Edomeus, reis de Sabá e Filisteus. David vai destacar-se sobretudo como guerreiro num combate singular contra o gigante filisteu Golias e depois como comandante do exército do rei .  Salomão herda o império de seu pai e consolida o seu estatuto como grande rei, tornando-se genro do faraó do Egipto, A Bíblia atribui-lhe uma sabedoria e uma inteligência proverbiais.

-Israel :  O reino esquecido ?   Vítima do império assírio o reino de Israel desaparece da História após dois séculos de existência. Muitos Israelitas foram exilados para a a Assíria e outros emigraram para o reino do Sul.

-Judá: História do reino do Sul.  O século IX a.c  parece ter sido uma época de recuperação ou expansão territorial para o reino de Judá. Em 701 a.c. o rei Senaqueribe chega ao Levante à cabeça do terrível exército assírio para impor uma vez mais a Pax Assyriaca ( pax Assíria ). A campanha culmina com a invasão de Judá e o rei Ezequias encerrado em Jerusalém « como um pássaro numa gaiola ». Manassés, o filho e sucessor de Ezequias, gozou do mais longo reinado foi i«o rei de Judá: 55 anos. Em 586 a.c. os Babilónios invadem Jerusalém e devastam a cidade levando os habitantes para o exílio

-A morte e a lenta ressurreição de Jerusalém ( séculos VI- IV  a.c. ) Para a maioria dos  investigadores as deportações para a Babilónia em 597 como em 586 a.c., foram mais selectivas do que os relatos deixam a duvidar. Aos Babilónios interessava mais privar Judá da capacidade para se reorganizar politicamente e suster o movimento de se reorganizarem politicamente e  de suster  um movimento de revolta. As elites políticas, religiosas e económicas foram por isso, com toda a probabilidade as principais vítimas. Com a queda do  império neobabilónico em 539 a.c. e a subida ao poder do rei Ciro da Pérsia foi permitido aos judeus exilados na Babilónia regressar a Jerusalém. Durante o longo período persa foi permitida a a reconstrução do templo Yahvista,   a reedificação das muralhas de Jerusalém e a proclamação da Torá ( Pentateuco )  , sobretudo as suas partes legislativas, como Lei local.. Um dos heróis da restauração de  Judá foi Neemias que terá chegado a Jerusalém com o beneplácito do rei persa para exercer as funções de governador de Judá/ Yehud.   Esdras parte também para Jerusalém com o encargo de verificar se os habitantes da província de Yehud estavam efectivamente a cumprir a Lei de Deus ( Torá ). Judá só recuperaria  a independência  nos séculos II a I  a.c. mas os séculos VI a V a.c. foram absolutamentre decisivos para o nascimento da Bíblia como livro Sagrado

-O início do Judaísmo. O  fim da História do Israel Antigo (no sentido estrito do termo) e o início do Judaísmo Antigo.  O termo  «Israel » que tinha uma acepção fundamentalmente poltico-social ( reino de Israel ), adquiriu no seio do reino de Judá e da tradição Bíblica, o significado teológico que ainda hoje conserva como designação da totalidade do povo eleito por Yahvé . Com a transformação da pertença étnico-geográfica numa pertença étnico-religiosa, o « Israel bíblico » enquanto família de tribos e o Yahvismo enquanto culto herdado dão lugar a uma nova entidade – o Judaismo- que combina aspectos de estirpe e de nação com características de estilo e religião

A pergunta que se coloca no fim do livro é: A  Bíblia tinha mesmo razão ? Há muitos textos na Bíblia que têm características lendárias como o Livro o Génesis. Não há dúvidas que as invasões  de Assírios e Babilónios aconteceram mesmo. O culto exclusivo a Yahvé e a proclamação da unicidade divina resultaram de um longo processo histórico que só culminou depois do exílio. Quanto ao Êxodo não se sabe ao certo se  este acontecimento pertenceu ao primeiro milénio ou se é mais remoto e tem de ser localizado no segundo milénio. Nele provavelmente podemos ler histórias como as dez pragas do Egipto e a separação das águas do mar morto.

 

publicado por pontodemira às 17:32
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. A DEMOCRACIA MANIPULADA

. NENHUM CAMINHO SERÁ LONGO

. A BÍBLIA TINHA RAZÃO

. QUEM GOVERNA O MUNDO

. O QUE VOS PEÇO EM NOME DE...

. A ECONOMIA PODE SALVAR O ...

. NENHUM HOMEM É UMA ILHA

. O ROSTO DE DEUS

. Ressaibos da Jornada Mund...

. UMA INTERPRETAÇÃO CRISTÃ...

.arquivos

. Abril 2024

. Março 2024

. Fevereiro 2024

. Janeiro 2024

. Novembro 2023

. Outubro 2023

. Setembro 2023

. Agosto 2023

. Julho 2023

. Junho 2023

. Maio 2023

. Abril 2023

. Março 2023

. Fevereiro 2023

. Janeiro 2023

. Dezembro 2022

. Novembro 2022

. Outubro 2022

. Setembro 2022

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub