Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2021

A arte de viver em Deus- A imaginação cristão para elevar o real

 

Este é o título de  um livro escrito por Timothy Radcliffe biblista e teólogo. É frade dominicano, formado em Oxford e Paris. Foi Mestre-Geral da Ordem dos Pregadores entre 1991 e 2001. Actualmente desempenha as funções de docente em Oxford  e de consultor do Pontifício Conselho de « Justiça e Paz », sendo frequentemente solicitado para conferências e palestras em todo o mundo.

Gostei muito de ler este livro pois pude reforçar a minha fé em Deus e também o recomendo tanto a crentes como a agnósticos. Afinal o que vem a ser a arte de viver em DEUS ?  Se Deus criou o Universo e o Homem também nós devemos corresponder amando Deus e ao próximo como a nós mesmos. No dia a dia devemos pôr em prática aquilo que Jesus nos ensinou por palavras e por obras. Somos seres sociais e por isso devemos na comunidade em que vivemos ser solidários e colaborantes e partilharmos sempre que seja possível o pouco que temos com os que precisam da nossa ajuda. Não podemos ficar insensíveis à miséria e à exclusão. Temos que fazer como o bom Samaritano que nos relata o Evangelho e que não ficou indiferente ao sofrimento do que estava caído na estrada. Temos também que saber perdoar como o pai fez com o filho pródigo que também nos relata o Evangelho.

Para chegar ao transcendente também podemos fazer uso da nossa imaginação. Quando apreciamos a beleza da natureza, um concerto musical, uma bela pintura ou poesia, uma obra de arte a nossa imaginação também nos conduz a Deus. O mesmo acontece com a liturgia da Igreja e com os Salmos que lemos na Bíblia. Para Einstein « a imaginação é mais importante do que o conhecimento. De facto o conhecimento restringe-se a tudo o que agora conhecemos, ao passo a imaginação abarca o mundo inteiro e tudo quanto existirá para conhecer e compreender »

À imaginação cristã opem-se hoje a imaginação tecnológica. As pessoas perdem demasiado tempo com os smartphones,com as redes sociais como o facebook e outras tecnologias. É claro que a ciência e tecnologia são importantes mas as pessoas também podem ficar prisioneiras delas. Quando ficamos enredados num modo de ver as coisas somos como uma mosca presa dentro de uma garrafa, esbarrando contra as paredes e incapaz de sair conforme o exemplo que nos dá  o filósofo Wittgenstein a propósito de uma imagem que nos mantem  cativos e que reside na nossa linguagem. O nosso desafio é também libertar a nossa imaginação do cativeiro e da visão do mundo que nos cega para nossa unidade em Cristo.

Numa grande parte do livro o autor vai abordar o modo como o Evangelho nos incita a seguir o verdadeiro caminho para Deus. Na 1ª secção VIAJAR acompanhamos os discípulos de Jesus no seu caminho para Jerusalém. Na 2ª secção ENSINANDO- Jesus ensina os discípulos a abraçar a abundância da vida e os conselhos que dá sobre a amizade e a renúncia à violência. Na secção final A  VIDA RESSURGIDA, o autor explica como partilhar  a vida do Senhor ressuscitado no plano espiritual e físico através da justiça, da liturgia e da oração. Nos primeiros séculos o cristianismo teve de combater duas teorias dualistas: o gnosticismo e o maniqueísmo. O gnosticismo entendia que só através da vida espiritual e pela fuga ao corpo nos podíamos salvar. O maniqueísmo imaginava que havia um profundo antagonismo entre o espiritual (alma) e o físico (corpo). Santo Agostinho foi durante muito tempo maniqueísta enquanto não se converteu ao cristianismo.

Na parte final do livro Timothy Radcliffe conclui o seguinte: «Nada do que é humano é estranho a Cristo. O que arruína a fé em Deus não é o ateísmo ou secularismo mas a globalização da superficialidade. Toda a civilização digna desse nome levanta questões fundamentais a saber: porque é que existe algo em vez de nada? Onde reside a felicidade humana ?  Quem quer que mergulhe com fé  ou sem ela , na  complexidade do ser humano, no acto de se apaixonar, no conflito de conceder o perdão, na descoberta de si como desordem e caos, na tentativa de entender a sua vida, é nosso aliado. O corpo não é uma prisão de que devemos libertar-nos. O corpo está aberto ao amor do outro e à encarnação daquele que é Amor. Como nos furtaremos à sedução da violência ou ao fascínio do dinheiro, do Reino da Mamona e às garras da imaginação tecnocrática ? Como descobriremos que o estranho é nosso irmão ou   irmã ?Como manteremos vivo o sentido de que vivemos num mundo de dádivas e de nem tudo é mercadoria ? »

A resposta a estas perguntas poderão ajudar-nos tornar o mundo mais humano, mais justo e pacífico e a seguir o verdadeiro caminho para Deus.

 

publicado por pontodemira às 19:14
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. O REGRESSO DA HIPÓTESE DE...

. ATÉ QUANDO IRÁ DURAR A GU...

. A TIRANIA DO MÉRITO

. UMA BREVE HISTÓRIA DA IGU...

. A SABEDORIA EM TEMPO DE C...

. A NOVA ARTE DA GUERRA- S...

. O PRÍNCIPE_ MAQUIAVEL

. A Consciência Do Limite

. O HOMEM EM BUSCA DE UM SE...

. VIVO ATÉ À MORTE

.arquivos

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub