Sexta-feira, 16 de Março de 2018

Análise crítica ao livro: Sapiens-Breve História da Humanidade

 

Análise crítica ao livro:Sapiens-História breve da Humanidade

Como já referi anteriormente este livro foi escrito pelo historiador Yuval Noah Harari, professor na Universidade Hebraica de Jerusalém. O tema foi desenvolvido com amplitude e profundidade recorrendo entre outros aos seguintes recursos: paleontologia, antropologia e sociologia. Há casos em que faz enquadramentos políticos e referências depreciativas a religiões e de modo particular ao cristianismo. Relativamente ao cristianismo escolhi algumas citações que passo a transcrever e a comentar:

1-“Como é que Armand Peugeot criou a empresa Peugeot? Da mesma forma que os sacerdotes e feiticeiros criaram deuses e demónios ao longo da história e que milhares de párocos franceses da época continuavam a criar o corpo de Cristo todos os domingos nas igrejas….. se um sacerdote católico envergando as suas vestes sagradas proferisse, de forma solene as palavras adequadas então o pão e o vinho ( abracadabra ) transformava-se no corpo e sangue de Cristo.( pag 45)”

A consagração que os sacerdotes fazem na missa, do pão e do vinho, é uma repetição do que Jesus fez na última ceia. Jesus partiu o pão e deu-o a comer aos seus discípulos dizendo: Tomai e comei isto é o meu corpo. Depois pegou no cálice e deu a beber o vinho aos discípulos dizendo: Tomai e bebei este é o meu sangue. Fazei isto em minha memória. Claro que não há nenhum abracadabra como ironicamente diz Harari. A transubstanciação é matéria de fé tal como é tudo que se relaciona com o transcendente. Por outro lado, misturar sacerdotes com feiticeiros é algo de ridículo que deixa ficar mal um historiador.

2-“ A cultura tende a afirmar que apenas proíbe o que não é natural. No entanto, de uma perspectiva biológica, nada há que não seja natural. O que for possível também é por definição natural….. Na verdade, os nossos conceitos de “ natural “ e de “ não natural “ não provêm da biologia, mas da teologia cristã . “ ( pag.179 )

Dizer que tudo o que é possível é natural não me parece correcto. É possível que alguém roube ou mate outra pessoa, que alguém seja pedófilo mas não me parece que tais comportamentos se possam classificar de naturais. Convém também esclarecer que uma grande parte de preceitos éticos têm origem no cristianismo. Mas esses preceitos não deixam de ser válidos e aceites por pessoas de outras religiões e até por não crentes.

3-..” A discórdia nos nossos pensamentos, ideias e valores nos obriga a pensar, a reavaliar e a criticar. A coerência é apanágio das mentes obtusas “ pag 200)

A coerência tem outro significado . Não é apanágio das mentes obtusas mas de todos os que agem em conformidade com o que dizem e pensam.

4-Os seguidores de Cristo e os de Alá mataram-se uns aos outros aos milhares, devastaram campos e pomares e transformaram cidades prósperas em ruinas fumegantes-tudo pela glória de Cristo ou de Alá. “( pag 209)

Concordo que durante longos períodos da História tanto cristãos como muçulmanos cometerem atrocidades. No que diz respeito aos cristãos há a referir o período negro das cruzadas e do Tribunal da Inquisição que mataram milhares de vítimas inocentes. Mas os cristãos que cometeram tais crueldades, de cristãos só tinham o nome e estavam precisamente nos antípodas do que Jesus ensinou e pregou. Harari esqueceu-se de mencionar os mártires que nos primeiros séculos do cristianismo morreram porque não tiveram medo de divulgar o Evangelho. Também Jesus morreu crucificado por dizer a verdade que não agradava à classe religiosa judaica. Como judeu Harari esquceu-se deste pormenor.

5-“No Norte da Península Ibérica em meados do sec. II a.c. era habitada pelos celtas nativos da península. Uma pequena e insignificante cidade de montanha chamada Numância atrevera-se a recusar o jugo romano. Quando os numantinos compreenderam que toda a esperança estava perdida, incendiaram a cidade e a maior parte suicidou-se para não se tornarem escravos de Roma. “ E daqui Harari parte para dizer que “ Os patriotas espanhóis que admiram o heroismo de Numância tendem a ser leais seguidores da Igreja Católica Apostólica Romana- uma Igreja cujo líder se senta em Roma e cujo Deus prefere ser abordado em latim “ ( pag226 )

O que aconteceu em Numância tem a ver com a política expansionista do império romano da altura e não com o Papa e com a Igreja Católica que estava ainda em formação. Por outro lado Deus não prefere nenhuma língua em particular e o latim hoje praticamente só é usado em cerimónias especiais. Se Deus preferisse ser abordado em latim então estaria a ouvir poucas pessoas.

6- “Assim nasceram as religiões monoteístas, cujos seguidores apelam ao poder supremo do Universo para os curar de doenças, ganhar o euromilhões e alcançar a vitória na guerra. “ (pag 256 )

Pedir a Deus pela Paz no Mundo é diferente de pedir a vitória numa guerra. Se alguém pedir a Deus a cura para uma determinada doença não vejo nenhum mal nisso. Se uma pessoa tem uma doença incurável e foi curada é natural que tenha sido atendida por Deus se a Ele recorreu com fé. Pedir a Deus para ganhar o Euromilhões essa só pode vir de um louco. O Evangelho é bem claro quando diz “ É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino do Céu. Procurai primeiro o Reino de Deus e tudo o mais virá por acréscimo. “

7- “ O cristianismo desenvolveu o seu próprio panteão de santos, cujos cultos pouco diferem de veneração dos deuses politeístas “

Os santos para os cristãos não são deuses mas intermediários entre os homens e Deus. Os Santos podem ser venerados mas não adorados pois a adoração só pode ser feita a Deus. Os cristãos não desenvolveram nenhum panteão de santos. Para que alguém se possa considerar Santo é necessário que outras pessoas ( médicos ) sejam testemunhas de um acontecimento extraordinário que não possa ser justificado pela ciência e esteja na origem da cura de determinada doença.

8- “ Os cristãos começaram a organizar actividades missionárias alargadas, dirigidas a todos os seres humanos. Numa das mais estranhas reviravoltas da história, esta seita judaica esotérica apoderou-se do poderoso Império Romano “

Os cristãos que organizaram actividades missionárias estavam a cumprir o que jesus Cristo lhes pediu :” Ide por toda a parte e divulgai o Evangelho. Para os judeus Israel era o Povo eleito de Deus. Mas para Jesus não havia distinção entre judeus, gregos, romanos, homens livres, escravos, homens e mulheres. E foi S.Paulo que abriu o caminho para a universalização do cristianismo. O cristianismo não é hoje uma seita esotérica mas a maior religião do mundo. Aos pequenos agrupamentos religiosos nascidos do cristianismo como os luteranos, os anglicanos, os adventistas, etc é que podemos designar como seitas. ( pag .257)

9- “ Como os monoteístas acreditam, que estão por norma na posse de toda a mensagem do Deus único, têm sido levados a desacreditar as outras religiões “(pag257)

Todos os que acreditam em Deus estão na posse da verdade. Mas ninguém tem a posse da verdade absoluta. O caminho para chegar a Deus é que pode variar.

10- “ A teologia monoteísta tende a negar a existência de todos os deuses, com excepção do Deus Supremo e a lançar no fogo do inferno todos os que os adoram “ (pag258 )

É lógico e evidente que uma religião monoteísta só admite a existência de um só Deus. Quanto ao fogo do inferno o que podemos dizer é que Deus é compassivo, cheio de misericórdia e sempre pronto a perdoar desde que as pessoas mostrem arrependimento. É claro que nenhum pai fica satisfeito com as asneiras que um filho faz. Jesus no alto da cruz e antes de morrer exclamou: “Pai perdoai-lhes que eles não sabem o que fazem “ Ninguém sabe o que vai ser no juízo final. Pessoalmente penso que os que levaram uma vida de pecado se manifestarem arrependimento serão perdoados.

 

11-“Quando Bem e Mal lutam, a que leis comuns obedecem e quem decretou essas leis?” ( pag. 260 )

Para as teorias dualistas existem dois deuses: o do Bem e o do Mal- Os homens terão que escolher de que lado ficam. Os cristãos têm um único Deus e capacidade para distinguir o que é Bem e agrada a Deus e o que é Mal e por isso não deve ser praticado.

12-“Os monoteístas são bons a explicar o Problema da Ordem, mas não o problema do Mal. Existe uma forma lógica de resolver o quebra-cabeças: argumentar que existe um Deus omnipotente que criou o Universo…e que é um Deus mau. No entanto, ainda não apareceu ninguém com coragem para propalar tal crença. “ (pag 261 )

Quando se fala de Mal é preciso distinguir entre mal físico provocado por uma doença ou o mal resultado de uma calúnia ou injúria. No primeiro caso é preciso compreender que nós somos seres limitados e finitos e que mais tarde ou mais cedo iremos morrer. O sofrimento provocado por outra pessoa poderia ser evitado se essa pessoa tivesse outro tipo de comportamento. Outra questão que se coloca é o mal provocado por um terramoto, furacão, tempestade, etc. Para que esta situação não acontecesse era necessário um mundo perfeito e essa perfeição pertence Deus . Para podermos usufruir as maravilhas do nosso planeta é necessário também ter em conta as contrariedades que podem acontecer. Há também quem ponha em causa a omnisciência de Deus. Se Deus conhece antecipadamente tudo o que vai acontecer não irá deste modo determinar as acções humanas? Deus não é a causa dos nossos actos pois se isso sucedesse estaria em causa o livre-arbítrio e a nossa liberdade. Não há por isso qualquer incompatibilidade entre os principais atributos de Deus: omnipotência, omnisciência e bondade.

13- “Os cientistas que estudam o funcionamento do organismo humano não encontram alma alguma. “ ( pag 277)

Toda a gente sabe que no homem há duas partes distintas: uma mais objectiva que tem a ver com o corpo e outra mais subjectiva que podemos relacionar com o psiquismo, com o espírito com a consciência moral. Seguindo a terminologia de Descartes diríamos que o corpo é a “res extensa” e o espírito a “res cogitans”.Só que estas duas realidades estão separadas. Mais tarde criou a” cogitatio” e esta realidade já não pode existir sem o corpo. Do ponto de vista metafísico há duas realidades: o corpo ou matéria de um lado a forma ,substância ou essência do outro lado que são imateriais. O espírito é pois a essência do corpo. Para a religião a alma está relacionada com a parte imaterial, com o espírito e por isso não desaparece com a morte do corpo. Para quem crê em Deus a vida não desaparece com a morte do corpo e não acaba no nada. Se isso acontecesse a vida não teria qualquer sentido. As pessoas que foram vítimas de injustiça neste mundo ficariam em pé de igualdade com criminosos e assassinos. Mas tudo isto é matéria de fé. Se eu não posso demonstrar que a alma existe e é imortal, o sábio e intelectual Harari também não pode provar o contrário. Quando Harari diz que ninguém viu a alma eu diria também que ninguém viu a consciência, a inteligência racional e no entanto sabemos que elas existem.

14-“Pouco antes da crucificação, uma mulher ungiu Cristo com um óleo precioso que valia 300 denários. Os discípulos de Jesus censuraram a mulher por ter desperdiçado tão grande soma em vez de a dar aos pobres, mas Jesus defendeu-a dizendo: Na verdade sempre tereis os pobres convosco e, quando quiserdes podereis fazer-lhes bem, mas a mim nem sempre tereis (Marcos,14-7). Hoje em dia, cada vez menos pessoas, incluindo cada vez menos cristãos, concordam com Jesus em relação a esta questão”.(pag311)

Harari é tendencioso nas análises que faz. Jesus sempre esteve ao lado dos pobres e desprotegidos. No episódio que Marcos relata Jesus não está a fazer o elogio da loucura ou do desperdício do dinheiro mas a louvar o gesto de reconhecimento de uma mulher que se desprendeu do melhor que tinha para o homenagear. Convém esclarecer que segundo o Evangelista S.João essa mulher chamava-se Maria e era irmã de Marta e de Lázaro o homem que foi arrancado do leito da morte por Jesus. Tem todo o sentido a alegria desta mulher e a sua gratidão sem limites. Seria humilhante para ela se Jesus a censurasse ou recusasse o seu gesto de gratidão.

15- “ A beleza da teoria de Darwin é que não precisa de presumir a presença de um criador inteligente para explicar como as girafas acabam por ficar com pescoços compridos” ( pag 463 )

Outro erro crasso de Harari. A Igreja hoje não põe em causa a teoria da evolução de Darwin. Não há qualquer incompatibilidade entre a Ciência e a Religião. O mundo nasceu como já se disse de uma explosão, de um Big-bang. Mas de quem partiu esse Big Bang. Se tudo saiu do Nada podemos também perguntar: E o Nada de onde veio? Como é que o Mundo sendo regido por leis de uma grande complexidade pode resultar do Nada. Tem que haver uma grande inteligência que oriente o Big bang inicial para uma evolução com determinado fim, ou seja, para o aparecimento de seres cada vez mais aperfeiçoados e complexos até chegar ao homem actual. O Génesis que relata a criação do Mundo e do homem em sete dias é hoje entendido pela Igreja como um mito que foi escrito por um autor que na sua época não tinha os conhecimentos que a ciência hoje nos revela. O que ele quis mostrar foi que por trás da criação esteve o dedo de Deus. E vou terminar com duas frases do cientista e físico Einstein: “ Sem Deus o mundo não é explicado satisfatoriamente. Quanto mais me aprofundo na Ciência mais me aproximo de Deus “

 

 

 

 

publicado por pontodemira às 18:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Os grandes filósofos:Jean...

. Eutanásia: Ética e Liberd...

. Fanatismo e fundamentalis...

. Análise crítica ao livro:...

. Sapiens: Breve História d...

. Três realidades distintas...

. O financiamentodos partid...

. A globalização em análise

. Democracia, populismo e x...

. Democracia,populismo e xe...

.arquivos

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds