Terça-feira, 26 de Março de 2013

O ÚLTIMO LIVRO DE BENTO XVI

1-O último livro de Bento XVI , da série Jesus de Nazaré, trata especificamente da Infância de Jesus. As principais fontes utilizadas pelo autor são os evangelistas São Mateus e São Lucas pois só estes tratam este tema.  São  chamados sinópticos porque obedecem a um esquema muito semelhante. Se compararmos S. Mateus com S. Lucas encontramos semelhanças mas também diferenças de pormenor. Ambos mencionam Belém como local do nascimento de Jesus. No entanto só S. Mateus se refere aos Reis Magos, ao martírio dos inocentes e à fuga da Sagrada Família para o Egipto. Depois enquanto em S. Mateus a genealogia de Jesus aparece no princípio do Evangelho e começa em  Adão, em S. Lucas a genealogia só aparece depois do baptismo e segue um caminho inverso até às origens.

2-Neste livro Bento XVI trata sucessivamente dos aspectos mais importantes da viagem de Jesus: genealogia, anunciação do nascimento, nascimento, visita dos Reis Magos, fuga para o Egipto e apresentação aos 12 anos no Templo.

Genealogia-Este capítulo abre com uma pergunta de Pilatos: “ Donde és Tu ? “   A genealogia pretende mostrar a descendência davídica de Jesus e a sua legitimidade como Messias. Mas a resposta para a pergunta atrás formulada vai Bento XVI buscá-la ao Evangelho de S. João: “ E o Verbo fez-se carne e levantou a tenda no meio de nós ( 1, 14 ). Assim Jesus “ é a tenda levantada do Verbo eterno, logo divina, neste mundo. A carne de Jesus, a sua existência humana é a tenda do Verbo. Jesus vem de Deus;  Ele é Deus “

A anunciação do nascimento de Jesus- Tanto S. Mateus como S. Lucas se referem à concepção milagrosa de Jesus por intervenção do Espírito Santo. Isto leva Bento XVI a perguntar se estamos perante um acontecimento histórico real ou perante uma lendas piedosa. E a resposta é inequívoca : “ o parto virginal e a ressurreição real do túmulo- são verdadeiro critério de fé. Se Deus não tem poder sobre a matéria, então Ele não é Deus “

Nascimento: S. Mateus e S. Lucas referem Belém como local do nascimento de Jesus. Mas  há diferenças de pormenor na maneira como cada um aborda e desenvolve o tema. Em  S. Lucas são os pastores a quem os anjos anunciam primeiro o nascimento do Salvador. Só S. Mateus  se refere à fuga de S.José e de Maria para o Egipto e às ordens dadas por Herodes para matar as crianças com idade inferior a 2 anos. Parece haver aqui um paralelismo com Moisés que foi atirado às águas do Nilo para escapar à fúria assassina do faraó.

Será que Jesus nasceu em Belém como indicam S.Mateus e S. Lucas ? Ou será que os dois evangelistas terão sido influenciados pela profecia de Miqueias( 5,1 ) que diz o seguinte: “ E tu Belém… de ti sairá aquele que governará  Israel “ .  Bento XVI não tem dúvidas a este respeito e afirma : “ As duas linhas diversas da tradição concordam na informação de que o local do nascimento era Belém. Se nos ativermos às fontes, fica claro que Jesus nasceu em Belém e cresceu em Nazaré. “

Jesus aos 12 anos no Templo-Este é  um episódio bem conhecido. Na viagem de regresso a Nazaré, Jesus fica em Jerusalém e os pais só se apercebem disso no fim do primeiro dia de viagem. Voltaram para trás e vão encontrá-Lo no Templo sentado no meio dos doutores, enquanto os ouvia e interrogava  ( L 2,40 ) . É então que Maria diz : “ Teu pai e eu andávamos aflitos à tua procura. E Jesus respondeu“Por que me procuráveis ? Não sabíeis que devia estar em  casa de meu Pai ? “. Depois desceu com eles, voltou para Nazaré, e era-lhes submisso… E Jesus crescia em sabedoria, em estatura e em graça, diante de Deus e dos homens ( L2, 52 ).

A conclusão de Bento XVI é a seguinte : “ Na resposta de Jesus com 12 anos tornou-se evidente que Ele conhece o Pai - Deus-  a partir de dentro. Só Ele conhece Deus, e não através de pessoas humanas que dão testemunho d’Ele - reconhece- O em Si mesmo.  Jesus está com o Pai, vê as coisas e o homem na sua luz. No entanto, é verdade também que a sua sabedoria cresce. Manifesta-se, de modo muito claro que Ele pensou e aprendeu de maneira humana. Concretamente, torna-se evidente que Jesus é verdadeiro homem e verdadeiro Deus, como exprime a fé da Igreja.”

3- Para finalizar diria que é um livro bem escrito e de leitura agradável. A Infância de Jesus é abordada de forma exaustiva, comparando e analisando as principais fontes com grande pormenor. No fim do livro existe uma bibliografia completa constituída por autores alemães  e também franceses.

O método utilizado por Bento XVI é o da  “ exegese canónica “ Este método consiste em analisar a Bíblia  no seu conjunto, ligando o Antigo Testamento ao Novo Testamento. Todas as   profecias do AT que apontam para um Messias  e têm a sua realização em Jesus.  Na opinião de Bento XVI o método histórico-crítico que analisa um texto nas suas diversas componentes ( histórica, literária e semiótica ) é importante mas não suficiente. Por outro lado contesta os teólogos que classificam os Evangelhos da infância de midrash , ou seja narrativas de interpretação da Sagrada Escritura. O que está nos Evangelhos é história real acontecida.

Francisco J.S. Martins

 

publicado por pontodemira às 22:32
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Março de 2013

A ELEIÇÃO DO NOVO PAPA

1-Segundo informação divulgada pela Santa Sé foi marcada para o próximo dia 12, terça-feira, a reunião do Conclave que irá eleger o novo Papa. Será o 266º depois de Pedro. A palavra conclave, do latim “ cum clave “ ( à chave ) significa que se trata de uma reunião à porta fechada. O primeiro conclave  teve lugar em 1241 e elegeu como Papa  Celestino IV  . Mas nem sempre os conclaves têm decorrido num ambiente de normalidade. Quando em 1268 morreu em   Viterbo o papa Clemente IV , os cardeais reuniram-se para eleger um novo Papa. Estando indecisos e hesitantes demoraram  dois anos e nove meses a eleger Gregório X. Durante esse tempo foram submetidos a um regime de clausura e a uma alimentação constituída apenas por pão e água.

2- O Papa que sair eleito deste conclave vai ter pela frente um trabalho difícil e uma situação complicada que tem denegrido a imagem da Igreja. Antes de mais é preciso , entre outras coisas, fazer o seguinte: reformar a Cúria Romana colocando homens de mérito e de confiança ao serviço do Papa ; acabar com as intrigas e jogos de poder que nunca deveriam existir numa instituição cristã ; sendo necessário um Banco do Vaticano, exige-se, no mínimo, uma boa gestão do dinheiro evitando gastos supérfluos e um apoio às instituições religiosas que se dedicam em todo o mundo a ajudar os que mais precisam ; e, finalmente , acabar com os casos de pedofilia punindo severamente e afastando da Igreja os religiosos que incorram neste tipo de crime.

3-Mas a Igreja tem ainda de se reformar procurando dar resposta às exigências e desafios dos novos tempos que estamos a viver. Há muitas coisas que estão mal e têm de ser revistas. O Concílio Vaticano II que foi muito criticado pelos mais conservadores, trouxe entre outras coisas a possibilidade de as pessoas ouvirem a missa na sua própria língua. Houve até um grupo os “Lefebvreanos”  que não aceitaram esta reforma. O facto é que a participação na eucaristia é totalmente diferente, para melhor , quando as pessoas entendem o que se estão a dizer.

Hoje, com concílio ou sem ele,  o novo Papa terá que tomar outras medidas para dar mais vida e mais dinâmica à Igreja. A título de exemplo indicaria as seguintes:   permitir às pessoas que se encontram separadas ou divorciadas a possibilidade de comungar ou até mesmo em casos devidamente ponderados voltar a casar pela Igreja ;  a não obrigatoriedade da confissão auricular que por vezes inibe as pessoas de comungar ;  a possibilidade de os candidatos ao ministério sacerdotal poderem optar pelo casamento  e também , e por que não ,dar à mulher o acesso ao ministério sacerdotal.

4-Sendo a Igreja constituída também por aqueles que se dizem cristãos ou católicos, a reforma terá necessariamente que envolver a todos sem excepção. E não há reforma possível se pusermos de lado o Evangelho. Nada melhor para terminar do que transcrever as palavras do teólogo José M. Castillo da Universidade de Granada que, no livro “ Quem foi, quem é Jesus Cristo “ coordenado pelo Padre Anselmo Borges, diz o seguinte  “  o caminho correcto para uma renovação e a devida aproximação da Igreja de Jesus é recuperar o Evangelho : o que supõe estudá-lo, analisá-lo, saber aplicá-lo no momento presente, ser-lhe dócil e obedecer-lhe, assumir como tarefa primeira viver de acordo com o Bios ( a vida ) de Jesus que se nos oferece nos  Evangelhos.  Aí , e somente aí , é que acho que podemos recuperar a esperança. E só desse modo a Igreja terá futuro  “

 

publicado por pontodemira às 19:39
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30


.posts recentes

. A gratuitidade dos manuai...

. A Estranha Ordem das Cois...

. SER MORTAL

. Os grandes filósofos: Lei...

. A queda do ocidente? Uma ...

. Como garantir a democraci...

. Os grandes filósofos:Jean...

. Eutanásia: Ética e Liberd...

. Fanatismo e fundamentalis...

. Análise crítica ao livro:...

.arquivos

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds