Sábado, 19 de Novembro de 2011

UM LIVRO POLÉMICO

UM LIVRO POLÉMICO

“Último Segredo “ é o novo livro do jornalista José Rodrigues dos Santos, lançado recentemente nas livrarias.  Confesso que nunca li nada deste autor.  Como o tempo que tenho é limitado, e há que fazer escolhas, prefiro ler os escritores consagrados ou os clássicos da literatura universal.

O livro de JRS é ,mais do mesmo ,ou seja, uma imitação do Código da Vinci de Dan Brown. Arranja-se um tema aliciante que desperte a curiosidade e depois desenvolve-se o mesmo num clima de” suspense “ até ao fim, onde é desvendado o segredo.  Vi o vídeo de apresentação na televisão e deu para perceber que é um livro onde se misturam ficção com história e em que se fazem afirmações históricas e teológicas que não correspondem à verdade. José Rodrigues dos Santos, com a certeza de quem fala “ ex cathedra “,  põe em causa a autoria dos Evangelhos, as epístolas atribuídas a  Paulo, João, Pedro e Tiago, o nascimento de Jesus em Belém e a Conceição virginal de Maria.  Diz ainda que a Bíblia está infectada de erros e que a verdadeira identidade de Jesus não é a que a Igreja apresenta mas a que o “ Último Segredo “ revela. Das investigações que o escritor fez somos levados a concluir que os cristãos andam há muito tempo, sem o saberem, a trilhar o caminho da ignorância e da superstição. Dá-me vontade de rir quando vejo iluminados que pensam que são donos da verdade absoluta e não admitem as teses dos mais reputados investigadores e teólogos da actualidade.

Quando iniciei as minhas primeiras leituras da Bíblia, algumas passagens pareciam-me obscuras e pouco credíveis. A minha curiosidade levou-me a ler livros da especialidade e assim foi fácil perceber que a Sagrada Escritura não poderia ser interpretada à letra e os diversos textos têm de ser enquadrados no contexto histórico e cultural de cada época. A Bíblia não é nenhum compêndio de história no sentido rigoroso do termo nem nenhum tratado de ciência.

Voltando ao livro o “Último Segredo “ de JRS-  o jornalista que no fim de cada telejornal pisco o olho aos telespectadores em atitude provocatória - os meus conhecimentos permitem-me dizer o seguinte :

1-Os evangelistas não foram testemunhas oculares dos acontecimentos que narram. Basearam-se na tradição oral e em pequenas frases escritas que circulavam ( perícopas ). Os evangelistas considerados canónicos pela Igreja não o foram por mera arbitrariedade ou por conveniência. A escolha foi feita com base nos seguintes critérios (e passo a citar a Bíblia dos Capuchinhos):

a-ligação directa com o grupo dos apóstolos e maior proximidade dos acontecimentos históricos ( critério apostólico );

b-inclusão de palavras e factos históricos da vida de Jesus  e não apenas um d estes conteúdos ( critério literário )

c-utilização nas pregações e na liturgia da Igreja universal ( critério litúrgico )

 

2-Só os evangelistas Mateus e Lucas se referem ao nascimento de Jesus em Belém e à Conceição virginal de Maria. Segundo o teólogo Padre Carreira das Neves e passo a citar “ Os evangelhos da infância de Jesus ( Lc1,2 e Mat 1,2 ) apresentam uma narrativa “ midrachica “  ou seja uma narrativa “histórica “ criada pelo autor para defender uma tese doutrinal e teológica.  O nascimento de Jesus em Belém poderá estar relacionado com a profecia de Miqueias que diz “ E tu Belém,… de ti  sairá aquele que governará Israel. ( Mq 5,1 ) “

A verdade é que Belém só é citada nas narrativas do nascimento em Lucas e Mateus.

Quanto à conceição virginal de Maria anunciada pelo anjo ( angelofonia ) o Padre Carreira das Neves diz que estamos diante de uma construção midráchica. E acrescenta “A verdade real de Jesus, como filho de Deus-Pai, por obra do Espírito Santo, e a verdade real da sua vida humana e histórica vai ser objecto de tensão permanente entre os pais e os familiares. A fé das comunidades para quem Mateus e Lucas escrevem, a partir da Ressurreição, aceitam uma verdade, a da Conceição virginal , que Mateus e Lucas transpõem para o começo da existência de Jesus “. O Ressuscitado e Filho de Deus só pode vir directamente de Deus.”   O Padre Carreira das Neves adianta ainda que a sua convicção é a de que as narrativas são fruto da fé em Jesus Cristo porque os cristãos assim acreditavam..

3-É um facto que todos os evangelistas falam nos irmãos de Jesus. Quanto a isto existem várias teorias :  a ) seriam filhos naturais de Jesus e Maria ( teoria defendida por Tertuliano e  Helvídio ) ;  b) seriam filhos de um primeiro casamento de José, entretanto  viúvo  (teoria defendida por Epifânio ) ; c) seriam primos de Jesus, pois na língua hebraica   “ach “ tinha um significado amplo designando também irmãos de sangue, primos e membros do mesmo clã . O mesmo se verifica na cultura árabe,indiana e africana. Esta é a teoria actualmente defendida pela Igreja.

A infância de Jesus está envolvida em mistério e nesta medida não há verdades nem certezas absolutas.  Deste modo subscrevo inteiramente o que o Padre Anselmo Borges disse num texto que escreveu no Diário de Notícias : “ As teses de JRS de forma alguma abalam os pilares do cristianismo e também não agride a fé cristã o facto de Jesus ter ou não irmãos e irmãs.  “

4-A Ressurreição não pertence à história empírica de Jesus. Não há testemunhas que tivessem presenciado a ressurreição no momento em que Jesus ressuscitou. O relato aconteceu mais tarde quando as mulheres e os apóstolos dão conta das experiências que tiveram com Jesus Ressuscitado. A ressurreição não é ,como alguns pensam, a reanimação de um cadáver, ou seja, voltar à vida que se tinha antes de morrer. Citando uma vez mais o Padre Carreira das Neves : “ nas narrativas da ressurreição há um ponto fundamental . Ele é o mesmo das cruz. Não é apenas um espírito e muito menos um fantasma. É Jesus em corpo e alma. Como é o seu corpo ? Ninguém sabe… ninguém o fotografou.  “

5-A verdadeira identidade de Jesus é a que ficou expressa nas obras que fez e na mensagem que nos deixou. Os evangelhos dizem-nos que curou coxos, cegos, surdos e leprosos. Esteve ao lado dos pobres, marginalizados e excluídos da sociedade. Pregou o amor e o perdão. Nos evangelhos aparece apenas uma situação em que Jesus assume uma atitude mais dura: trata-se da expulsão dos vendilhões do Templo.

Não sei onde JRS quer chegar quando afirma que se Jesus estivesse entre nós seria considerado herege pela Igreja

Para terminar diria que a literatura deste género serve apenas para entreter e passar o tempo ou para confundir e baralhar. Daqui por uns anos  ninguém vai ler estes livros que vão ficar esquecidos nas prateleiras. Mas se suscitar a curiosidade de saber mais sobre Jesus já não é mau.

 

FRANCISCO JOSÉ SANTIAGO MRTINS

 

publicado por pontodemira às 13:27
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30


.posts recentes

. A gratuitidade dos manuai...

. A Estranha Ordem das Cois...

. SER MORTAL

. Os grandes filósofos: Lei...

. A queda do ocidente? Uma ...

. Como garantir a democraci...

. Os grandes filósofos:Jean...

. Eutanásia: Ética e Liberd...

. Fanatismo e fundamentalis...

. Análise crítica ao livro:...

.arquivos

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds