Segunda-feira, 16 de Março de 2009

CASA ONDE NÃO HÁ PÃO

 

1-Não há dia em que não se fale da crise. Os jornais e a televisão relatam com frequência casos de empresas que fecham as  portas e lançam no desemprego centenas ou mesmo milhares de trabalhadores. De um momento para o outro tudo ruiu como um baralho de cartas. Segundo as estatísticas, em Portugal há cerca de 2 milhões de pobres. Muitos passam fome e envergonham-se de o dizer. Para algumas famílias é um verdadeiro drama e um autêntico pesadelo a situação que estão a viver. Com um magro subsídio de desemprego é difícil fazer face ás despesas correntes: alimentação, água , electricidade e às propinas dos filhos.  Quais as causas que levaram a esta verdadeira tragédia ?  Os bancos facilitaram os créditos, muitas vezes à custa de juros elevados, para aumentarem os lucros. Os consumidores levados por uma publicidade enganosa endividaram-se para além das suas capacidades financeiras. Enquanto em muitos países da Europa as pessoas recorrem ao arrendamento de casas para habitar, em Portugal quase todos querem ter habitação própria, mesmo sem terem recursos para o fazer. O mesmo acontece com a aquisição de automóvel e de electrodomésticos o que dificulta ainda mais a possibilidade de pagamento. Os créditos malparados e os investimentos de risco levaram alguns bancos à falência ou à falta de liquidez. Sem crédito as pequenas e médias empresas não podem investir para se renovarem e competir num mercado cada vez mais exigente.  E a pergunta que se coloca é a de saber como se vai ultrapassar a crise.

 

2-Não faltam por aí políticos e economistas que analisam detalhadamente a crise nas suas diversas vertentes: PIB, crescimento económico, inflação e desemprego. Mas o que o país precisa são soluções e ideias para relançar a economia. E o que se lê não passa, a maior parte das vezes ,de banalidades que pouco ajudam a resolver os problemas. Dizem alguns economistas que é preciso aumentar a competitividade. Mas como é possível conseguir esse objectivo com países como a China e a Índia que praticam salários de miséria, trabalham 12 horas por dia e não têm por vezes direito a uma reforma decente. Há também outros que entendem absolutamente necessário aumentar as exportações para reequilibrar a nossa balança de pagamentos. Só que os países com quem mantemos maiores relações comerciais também estão em crise como nós e com a entrada no euro não podemos desvalorizar a moeda. A nossa esperança poderá estar em Angola porque há interesses recíprocos em jogo. Na minha modesta opinião não podemos também perder de vista o desenvolvimento do sector primário ( agricultura ) para atenuar a nossa dependência de outros países. Tudo isto é importante mas infelizmente não vai chegar. A situação é tão grave que a curto prazo só com a generosidade e solidariedade de todos se poderão obter resultados imediatos. É preciso ter a coragem de acabar com as mordomias e prebendas de alguns políticos e com as duplas reformas Outra medida importante seria reduzir o número de deputados permitindo assim uma poupança enorme que daria para aumentar a reforma dos mais necessitados. Alguns políticos acusam, com razão, o sistema neoliberal de ser o causador de todos os desiquilíbrios e desigualdades da sociedade. Esquecem-se, contudo, que os privilégios e regalias que possuem os devem precisamente ao sistema que tanto condenam

 

3-O assassínio do Presidente Nino Vieira na Guiné-Bissau mostra-nos um país à beira do caos. Foi um crime executado com requintes de malvadez e impróprio de pessoas civilizadas. Onde estava a segurança do Presidente no momento do atentado ? Teria havido conivência com os assaltantes ? A Guiné tem sido , desde a independência até hoje, um país de golpes e contra-golpes que não dão margem para que a democracia e a estabilidade se instalem de vez. O povo vive na miséria enquanto políticos e militares se entretêm matando-se uns aos outros. Como ninguém tem autoridade, o território é propício para os traficantes de armas e de drogas. Segundo se diz, a droga da América latina passa pela Guiné  a caminho da Europa. Seria bom que a comunidade internacional e em particular a ONU se instalassem no terreno e criassem condições para que a Guiné fosse governada democraticamente.

 

4-Um outro caso, que deu que falar, passou-se no nosso parlamento entre os deputados José Eduardo Martins do PSD e  Afonso Candal do PS. O primeiro reagiu mal a uma insinuação do segundo e mimoseou-o com um palavrão, sem qualquer respeito pela Assembleia e pelos outros deputados. É certo que a televisão por vezes nos mostra cenas de pancadaria no parlamento de outros países. Mas isso não dignifica nem as pessoas nem o país a que pertencem. E não é certamente exemplo a seguir no nosso país. Pena é que os nossos deputados percam tanto tempo em discussões estéreis em vez de desempenharem com eficiência e dignidade as funções para que foram eleitos.

 

Francisco  Martins

 

 

publicado por pontodemira às 21:11
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. O REGRESSO DA HIPÓTESE DE...

. ATÉ QUANDO IRÁ DURAR A GU...

. A TIRANIA DO MÉRITO

. UMA BREVE HISTÓRIA DA IGU...

. A SABEDORIA EM TEMPO DE C...

. A NOVA ARTE DA GUERRA- S...

. O PRÍNCIPE_ MAQUIAVEL

. A Consciência Do Limite

. O HOMEM EM BUSCA DE UM SE...

. VIVO ATÉ À MORTE

.arquivos

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Abril 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub