Segunda-feira, 4 de Janeiro de 2016

ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 2015

 

1-Infelizmente o ano de 2015 não deixou boas recordações para muita gente. Houve acontecimentos que vão levar tempo a sarar e a esquecer: terramotos, tornados, inundações, imigrantes que fugiram precipitadamente à guerra,à fome e à miséria e também atentados terroristas. Houve milhares de pessoas que morreram vítimas destas tragédias.

2-Quase todos os anos se verificam , com certa regularidade, situações de catástrofe ou temporais que reduzem a escombros determinadas localidades. O clima está alterado e é fácil relacionar tudo isto com as agressões continuadas ao meio ambiente. A poluição aumenta assustadoramente e na China as pessoas são obrigadas a usar máscaras para se protegerem dos gases tóxicos. Os incêndios florestais e a produção de gases de estufa vêm pôr em causa os ecossistemas e a biodiversidade. Há espécies vegetais e animais que estão a desaparecer e que fazem falta ao equilíbrio ambiental. No cerne de tudo isto está a globalização das tecnologias, o liberalismo económico que visa apenas o lucro, a alta produção e que despreza e desvaloriza o desemprego, o consumismo desenfreado dos países ricos e a criação intensiva de gado que é em grande parte responsável pela poluição. A cultura do consumismo assenta no pressuposto que os bens da Terra são inesgotáveis, o que é falso. Se esta mentalidade se mantiver e os combustíveis fósseis não forem substituídos pelas energias renováveis caminhamos, inexoravelmente para a morte do planeta Terra. O Papa Francisco na carta encíclica “ Louvado Sejas “ diz o seguinte: “ O aquecimento causado pelo enorme consumo de alguns países ricos tem repercussões nos lugares mais pobres da Terra especialmente em África, onde o aumento das temperaturas juntamente com a seca tem efeitos desastrosos no rendimento das culturas. A isto acrescenta-se os danos causados pela exportação de resíduos sólidos e líquidos tóxicos para os países em vias de desenvolvimento e pela actividade poluente de empresas que fazem nos países menos desenvolvidos aquilo que não podem fazer nos países que lhes dão o capital “ ( pag 37 e 38 )

3-O outro problema candente da actualidade é o êxodo de imigrantes da Síria e de alguns países africanos que fogem à guerra e à fome. Muitos deles vêm a morrer ou continuam a morrer nas águas do Mediterrâneo. Os que sobrevivem e conseguem entrar na Europa nem sempre são bem acolhidos. Alguns países mais xenófobos erguem muros de arame farpado para não poderem passar. Acredito que nem todos têm condições para dar abrigo a muitos imigrantes. Em Portugal, por exemplo, há um elevado número de desempregados e as condições não são as mais favoráveis. De qualquer forma com boa- vontade e se alguns derem um pouco do que têm a situação pode resolver-se. Estou a lembrar-me da viúva do Evangelho que deitou na caixa das esmolas tudo quanto tinha e é elogiada por Jesus porque tinha dado mais que todos os outros que deram apenas o que lhes sobrava. É bom não esquecer que também temos portugueses que emigram para outras terras e naturalmente esperam ser bem recebidos.

4-Finalmente temos os atentados dos jiadistas fanáticos. Pensam que são iluminados e que só eles detêm toda a verdade e também o poder de matar em nome de Deus. Se Deus existe, como todos os crentes acreditam, ele tem de ser pai de todas as criaturas e não apenas de alguns privilegiados. E um pai, um verdadeiro pai, não manda matar um filho. Para os cristãos Deus é um pai de amor e misericórdia capaz de perdoar mesmo ao filho pródigo que o abandonou mas se mostrou arrependido. Os que fazem parte do Estado Islâmico vivem na utopia de dominarem o Mundo com a sua ideologia ,como se isso fosse possível. O que é certo é que a sua argumentação e verborreia consegue atrair gente jovem que vive na Europa e se deixa facilmente seduzir por aventuras suicidas. Estes jovens são na maior parte desempregados que não estão integrados nas sociedades onde vivem e se deixam envolver em actividades criminosas como forma de protesto pois pensam que se morrerem irão para o paraíso como heróis.

A verdade é que não é fácil combater o terrorismo. Os terroristas vivem camuflados e procuram não dar nas vistas. Só pela denúncia de suspeitos se poderá conseguir alguma coisa. Seria também preciso descobrir e bloquear ou desencorajar os países que fornecem armas e ajudam os terroristas. Os bombardeamentos não são o meio mais eficaz de combater os terroristas pois com eles morrem também muitos civis inocentes. Há um provérbio latino que diz o seguinte: “ Si vis pacem para bellum ( Se queres a paz prepara a guerra ). É verdade que todos os Estados têm de estar preparados para combater no caso de eclodir uma guerra. Esta deve ser no entanto o último recurso depois de esgotados todos os outros meios. Antes de mais terá de haver diálogo entre as partes envolvidas no conflito. Tratando-se de religiões é fundamental o diálogo inter-religioso pois sem este não haverá paz. A História diz-nos que todas as ideologias de cariz totalitário mais tarde ou mais cedo acabam por morrer. Por isso há que ter esperança em dias melhores.

 

 

 

publicado por pontodemira às 16:28
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Democracia, populismo e x...

. Democracia,populismo e xe...

. Os incêndios florestais (...

. Os grandes filósofos: Mar...

. Os Grandes filósofos: Ben...

. Os incêndios florestais

. O Euro- como moeda única ...

. O Papa Francisco peregrin...

. O terrorismo

. As baboseiras do Sr. Jero...

.arquivos

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds