Quinta-feira, 5 de Maio de 2011

CASA ONDE NÃO HÁ PÃO......

1-Apreensão é o sentimento da generalidade das pessoas perante a crise que estamos a viver. Como é possível que em 2007 /2008 o défice orçamental estivesse dentro dos limites recomendados ( 3% ) e a partir daí começasse a disparar até atingir os 9% nas contas de 2010. Nas comemorações do 25 de Abril alguns ex-presidentes da República referiram que a culpa não pode ser atribuída exclusivamente aos políticos mas também aos cidadãos. É um facto que muita gente, iludida pela publicidade enganosa, se endividou, recorrendo ao crédito para comprar casa, carro e até bens por vezes supérfluos. Os Bancos que entusiasmaram  as pessoas a gastar acabaram por ser também atingidos pelo crédito malparado.

Estes casos  devem ser tidos em conta no endividamento externo mas a origem do grande descalabro a que chegámos tem a ver com as políticas erradas que foram seguidas nos últimos anos. Quando um país gasta mais do que aquilo que produz, os resultados não se fazem esperar. As grandes obras públicas e as parcerias público - privadas foram sem dúvida o cancro que mais contribuiu para o défice orçamental. Não obstante esta evidência, ainda há partidos como o Bloco de Esquerda (BE) e o Partido Comunista (PC) que insistem  na construção do TGV, para não falar do Partido Socialista ( PS). O  país precisa é de investir em obras que tragam retorno e empurrem para o crescimento económico.

2-Enquanto a troika FMI, CE e BCE passaram o tempo a ouvir políticos e a traçar planos de austeridade para aplicar no futuro, o PSD e o PS aproveitaram para lançar diatribes e provocações. Em vez de fazerem o trabalho de casa estudando as estratégias que serviriam de proposta ao FMI preferiram o ataque recíproco, deixando em antevisão o que vai ser a próxima campanha eleitoral. O BE e o PCP, numa atitude de completa irresponsabilidade, recusaram-se a falar com a equipa que se encontra em Portugal a avaliar a situação económica e financeira do país, pois dessa avaliação dependia a ajuda que o Governo solicitou. Mas não é com soluções de boca e utopias que se resolvem os problemas do país. Sabia-se que a ajuda externa era absolutamente necessária e que sem ela teríamos a bancarrota. Agora o que mais importa é não voltarmos a repetir os erros do passado e, aproveitando bem os recursos e sinergias que possuímos, sermos capazes de dar a volta à situação.

3-Dentro de poucas semanas irá começar a campanha eleitoral. Mas quer os partidos queiram quer não, o programa vai ser marcado e condicionado pelas medidas impostas pela equipa que nos vai emprestar o dinheiro para  resgatar a nossa dívida pública. O que os partidos vão dizer é mais ou menos previsível. O PS vai acusar o PSD de ter desencadeado a crise provocando eleições antecipadas -afinal o PEC4 não era assim tão mau e as medidas impostas pela troika são ainda mais gravosas para os portugueses. O PSD vai dizer que o país estava ingovernável e só o pulso forte do FMI seria capaz de restabelecer a confiança nos mercados financeiros internacionais. Muitos eleitores irão pensar que o PEC4 resolveria de maneira mais prática as necessidades imediatas do país, evitando os gastos e o desgaste de novas eleições, cujas consequências são imprevisíveis. Tudo pode acontecer inclusivamente uma nova vitória do PS pois o PSD ainda não apresentou qualquer ideia ou programa capaz de mobilizar o eleitorado. Provavelmente nenhum partido terá  uma maioria absoluta o que irá agravar ainda mais uma situação, já de si complicada.  Só um Governo de dois ou mais partidos, o mais abrangente possível, poderá dar ao país a estabilidade necessária nos próximos anos. Caberá ao Presidente da República fazer todos os esforços para que essa solução seja uma realidade.

FRANCISCO JOSÉ SANTIAGO MARTINS

publicado por pontodemira às 18:48
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De emprego lisboa a 20 de Agosto de 2011 às 21:19
para ter sempre pão em casa procure emprego emhttp://www.empregosmanager.pt/emprego/lisboa#ofertas e veja as nossas oportunidades!!!!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Os incêndios florestais (...

. Os grandes filósofos: Mar...

. Os Grandes filósofos: Ben...

. Os incêndios florestais

. O Euro- como moeda única ...

. O Papa Francisco peregrin...

. O terrorismo

. As baboseiras do Sr. Jero...

. Bandarra: profetismo mes...

. A Ordem Mundial

.arquivos

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds