Quarta-feira, 14 de Abril de 2010

UM LIDER INCONTESTADO

UM  LIDER INCONTESTADO

 

1-Pedro Passos Coelho é sem dúvida um líder incontestado do PSD. Eleito por uma maioria significativa de militantes conseguiu depois no Congresso congregar à sua volta os principais opositores. No discurso que fez no fim  dos trabalhos em Carcavelos deu a entender as linhas de força da sua futura actuação. Disse entre outras coisas que  é necessário despartidarizar a administração, desestatizar a sociedade, desgovernamenta- lizar o país e dar possibilidade às pessoas de escolherem aquilo que querem na saúde e na educação. Acrescentou ainda que não quer que o Estado mande na administração. Tudo isto é muito genérico mas dá para entender que um dos seus objectivos é reduzir o peso do Estado na vida pública e na sociedade. Ficámos ainda a saber que outra das suas prioridades é rever a Constituição da República. Se é, como penso, para dar mais representatividade aos sistema eleitoral de forma a que os deputados sejam mais responsáveis perante os eleitores, então é uma boa medida que devia merecer o apoio de todos os partidos. Mas melhor do que isso seria reduzir o número de deputados, só que ninguém tem a coragem para o propor. Esperemos que Passos Coelho não queira mexer nos direitos individuais, particularmente nos direitos à saúde e à educação Aqui, porém, podemos ficar descansados pois iríamos ter uma forte oposição da maioria dos partidos da Assembleia da República.

Uma outra ideia de Passos Coelho se, porventura for primeiro-ministro, é exigir aos que beneficiam do subsídio de reinserção social, um trabalho ou serviço em troco do dinheiro que recebem do Estado.  É uma ideia a aproveitar desde que essas pessoas tenham saúde para o fazer.

 

2-O novo líder do PSD, como homem de direita e liberal, vai querer privatizar todas as empresas que o Estado detém  mesmo as que dão lucro. O seu fôlego irá até onde for possível. Numa entrevista disse que iria vender a RTP e as estações de rádio do Estado. Mas será que os portugueses não terão direito a um serviço público de qualidade que fuja à programação medíocre de outras televisões ? Não me parece que seja pela alienação indiscriminada de bens que as finanças públicas se irão normalizar. Vendem-se os anéis e ficam os dedos. Mas com o tempo nem os dedos vão chegar. A teoria de “ quanto menos Estado melhor “ não me parece ser a melhor solução. E a prova está em que o neoliberalismo desregulado originou a crise mundial que estamos a viver. Se não fosse a pronta intervenção do Estado, injectando dinheiro e nacionalizando alguns bancos em maus lençóis , a situação seria bem pior.

 

3-Independentemente das privatizações que tenham de ser feitas é preciso pôr cobro quanto antes aos prémios e vencimentos exagerados dos gestores públicos. É um escândalo e uma imoralidade que  o Presidente da EDP, António Mexia tenha recebido 3,1 milhões de euros quando milhares de trabalhadores têm os seus  salários congelados. Segundo o semanário Expresso há ainda mais 6 gestores que recebem mais de 1 milhão de euros e têm remunerações mensais acima dos 70 mil euros. Feitas as contas  conseguem ganhar dez vezes mais que o Presidente da República.

Também não cai muito bem que o dr. Mira Amaral critique estes vencimentos chocantes quando ele esteve apenas uma ano e meio na CGD e saiu com uma reforma vitalícia de 18 000 euros. Como são  possíveis todas estas extravagâncias quando mais de 200 mil pessoas pedem ajuda ao Banco Alimentar Contra a Fome. Estamos efectivamente num país de loucos  Assim não é para admirar que o fosso entre ricos e pobres seja cada vez maior.

FRANCISCO  MARTINS

 

 

 

publicado por pontodemira às 21:24
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Os incêndios florestais (...

. Os grandes filósofos: Mar...

. Os Grandes filósofos: Ben...

. Os incêndios florestais

. O Euro- como moeda única ...

. O Papa Francisco peregrin...

. O terrorismo

. As baboseiras do Sr. Jero...

. Bandarra: profetismo mes...

. A Ordem Mundial

.arquivos

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds