Domingo, 10 de Janeiro de 2010

OS EQUILIBRISMOS EM POLÍTICA

1-O governo vai apresentar ainda este mês no parlamento o Orçamento para 2010. Como foi o partido mais votado, o P.S tem toda a legitimidade para governar. Mas  as orientações orçamentais terão que conciliar as promessas eleitorais com a situação de crise e de estagnação económica em que o país se encontra mergulhado. Para o Estado investir é preciso ter dinheiro e todos estão de acordo que não é pelo agravamentos dos impostos que se devem aumentar as Receitas. Esta solução seria catastrófica sobretudo para quem tem baixos rendimentos ou para os 500 000 portugueses que estão no desemprego.  Os investimentos têm que ser feitos no que é essencial para o país evitando obras megalómanas. É importante reduzir as despesas correntes  cortando no que é supérfluo e nas regalias e privilégios dos que desempenham altos cargos públicos. Numa entrevista à revista Time o Presidente da Reserva Federal Norte Americana dizia  que, se muitos banqueiros foram salvos pelo dinheiro dos contribuintes, também os banqueiros deviam olhar para o espelho e exigir  mais contenção na forma como se pagam a si próprios.  Este é também um bom  conselho para ser seguido em Portugal  pelos banqueiros e  pelos gestores e administradores de empresas públicas. Ainda recentemente se ficou a saber que Armando Vara ganhava mensalmente 30 000 €. Sem pôr em causa os méritos deste gestor bancário diria que se trata de um verdadeiro escândalo que não pode deixar de nos interpelar. É que uma grande maioria dos portugueses não ganha num ano o que este senhor aufere num mês.

Voltando ao Orçamento para 2010, como o governo não tem maioria no Parlamento e mais de 50 % dos portugueses não votaram no P.S. ,é pois necessário chegar a um acordo. Para haver entendimento ambas as partes têm de fazer cedências: governo e partidos da oposição. E não vai ser fácil pois todos os partidos dizem que têm compromissos com o eleitorado que é preciso respeitar. Mas se não houver uma plataforma de entendimento o país ficará ingovernável e à beira do abismo.  O senhor Presidente da República na sua Mensagem de Ano Novo, com a autoridade que se lhe reconhece como economista, dizia que se não formos capazes de corrigir o desequilíbrio das finanças públicas os custos podem ser dramáticos para o nosso país. A verdade é que se não for alterado o sistema eleitoral dificilmente um partido com maioria simples poderá governar com estabilidade. Enquanto na Alemanha a chanceler Merkl já conseguiu por duas vezes uma coligação partidária em Portugal isto seria impensável.

Não tenho dúvidas que o Orçamento para 2010  vai passar no Parlamento pois seria um autêntico suicídio para os partidos da oposição provocar a queda do governo. O contencioso dos professores já foi resolvido e o PSD neste momento está desorganizado e sem força para governar. O mais provável é que o PSD e o CDS se abstenham depois de negociarem com o governo as rectificações que julgarem necessário fazer e se adequarem melhor à crise económica que temos que enfrentar. Como não há nenhum orçamento que agrade a todos, esperamos que seja o mais consensual possível e o que melhor sirva os interesses do país.

 

2-Desta vez os professores levaram a melhor e o Ministério da Educação teve de voltar atrás e dar o dito por não dito. Com sindicatos fortes e uma classe  unida tudo se consegue. Agora acabaram as quotas e todos os professores com nota de Bom podem chegar ao topo da carreira. Só que a regra vai ser a de atribuir Bom à generalidade dos professores. De fora ficarão apenas os mais negligentes,os laxistas e absentistas. Mas  há uma questão que tem de ser esclarecida. Para que servem as classificações de Muito Bom e Excelente ? Se os professores que obtiveram estas notas progredirem mais rápido na carreira docente talvez valha a pena o esforço. Se é só para enfeitar o currículo ou tão só para anotar no registo biográfico, a motivação já não será a mesma.

Enquanto nas outras carreiras da Administração Pública é necessária a classificação máxima par chegar ao topo da carreira e poucos lá chegam, no ensino deixou de ser um requisito a ter em conta. Diz a ministra Isabel Alçada que  a actividade docente faz parte de uma carreira  “sui generis “ diferente de todas as outras da Administração Pública. Só que ainda há bem pouco tempo a anterior ministra Lurdes Rodrigues pensava de outra maneira. Qual das duas estará certa ? Fica-me no entanto uma dúvida. Será que o Orçamento do Estado num futuro não muito distante terá dinheiro suficiente para pagar pelo escalão máximo a todos os professores ? Será que a Caixa Geral de Aposentações irá arranjar dinheiro para pagar as pensões de reforma sem fazer cortes substanciais ?

 

 

FRANCISCO  MARTINS

 

publicado por pontodemira às 19:59
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Os incêndios florestais (...

. Os grandes filósofos: Mar...

. Os Grandes filósofos: Ben...

. Os incêndios florestais

. O Euro- como moeda única ...

. O Papa Francisco peregrin...

. O terrorismo

. As baboseiras do Sr. Jero...

. Bandarra: profetismo mes...

. A Ordem Mundial

.arquivos

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds