Sexta-feira, 1 de Janeiro de 2010

DIA MUNDIAL DA PAZ ( 2010 )

 

 

O Papa Bento XVI escolheu este ano para o Dia Mundial da Paz ( 1 de Janeiro ) as questões relacionadas com o meio ambiente. A sua mensagem para o Ano Novo tem como tema : “ Se quiseres cultivar a paz, preserva a criação. “

Quem é crente reconhece que a Terra foi criada por Deus para que todos os homens e todos os povos possam fruir os seus bens e apreciar as suas belezas. Mas tal só é possível se for respeitada a Natureza , garantindo  o equilíbrio ecológico e a biodiversidade.  O Universo que tantas vezes nos deslumbra e nos causa espanta e admiração, obedece a leis que é preciso respeitar. Tudo o que seja um desvio às regras do equilíbrio e do bom senso pode trazer danos irreparáveis para a Humanidade.

 

O Papa na sua mensagem alerta para os perigos que ameaçam a Paz e que são devidos por um lado à “ desumanidade do homem para com o seu semelhante – guerras, conflitos internacionais e regionais, actos terroristas e violações dos direitos humanos-  e por outro ao “ desleixo, se não mesmo ao abuso em relação à terra e aos bens naturais que Deus nos concedeu .”

 

Embora as guerras e conflitos sejam factores que perturbam a paz, num futuro próximo, e se nada for feito, a produção descontrolada de CO2 irá tornar impossível a vida no nosso planeta. A subida de 3º c  da temperatura do globo irá trazer alterações climatéricas com reflexos a vários níveis : inundações, em vários países e em zonas costeiras devido ao descongelamento dos gelos polares ; secas prolongadas em várias regiões que irão desertificar ;  desaparecimento de certas espécies animais que não vão conseguir adaptar-se à novas alterações ambientais.

 

Mas as agressões ao meio ambiente não ficam por aqui.   A criação intensiva de animais para consumo vai também aumentar os níveis de CO2 . Por incrível que pareça a criação de gado em todo o mundo produz 18 % dos gases poluentes enquanto os transportes atingem um valor mais baixo, ou seja, 14% .   O uso e abuso de pesticidas e herbicidas vai também poluir os lençóis de água tornando-a imprópria para consumo.

 

Há aqui , portanto, matéria para muita reflexão.  O crescimento económico tem de ter limites, pois se não afrouxar as reservas naturais irão esgotar-se. É um facto que os combustíveis fósseis não vão durar sempre. Também ninguém contesta que todos os povos têm direito a um nível de vida aceitável. O que não pode haver é  consumos exagerados e desperdícios pois os recursos do planeta não são infinitos.

 

Em certas regiões de África onde não chove há muito tempo as populações deslocam~se para as cidades e até mesmo para a Europa à procura de condições que lhes permitam sobreviver. Enquanto isso a China e os Estados Unidos que são os países mais poluentes não encontram forma de chegar a um acordo que fixe metas e taxas a atingir. A cimeira de Copenhaga foi um autêntico fracasso e os discursos não passaram de um rosário de boas intenções sem que deles surgisse qualquer decisão de carácter vinculativo.

 

Será que no futuro irá haver entendimento para resolver os problemas ecológicos ?  O Papa Bento  XVI  diz na sua mensagem que   A comunidade internacional tem o imperioso dever de encontrar as vias institucionais para regular a exploração dos recursos não renováveis, com a participação também dos países pobres, de modo a planificar o futuro.  A crise ecológica manifesta a urgência de uma solidariedade que se projecta no espaço e no tempo. “  Podemos concluir das palavras do Papa que embora sejam os países industrializados os mais responsáveis pela poluição, os países emergentes não podem ficar de fora,pois as medidas de protecção do ambiente cabem a todos sem excepção.

 

Se é fácil fazer diagnósticos sobre a crise ecológica o mais difícil é tomar as medidas adequadas para inverter a situação. Todos concordam que  a economia não pode crescer descontroladamente e que o desenvolvimento tem que ser sustentável. Não faz sentido desflorestar grandes áreas, como está a acontecer na Amazónia , para  aproveitamento agrícola ou pecuário ou até mesmo para vender madeiras preciosas. Trata-se de um verdadeiro crime de consequências irreparáveis que qualquer governo tem o dever de combater.

É necessário que também que se evite o consumismo exagerado que muitas vezes potencia formas intensivas de exploração agrícola, pecuária e até piscatória. No mar há certas espécies, como o bacalhau, que correm o risco de desaparecer se o consumo actual se mantiver.

 

Na sua mensagem de Ano Novo o Papa aconselha ainda as pessoas a  adoptarem novos estilos de vida que determinam as opções de consumo, de poupança e do investimento.

Melhorar as condições de vida do planeta através da sensibilização é uma tarefa que diz respeito não só às organizações governamentais e não-governamentais mas segundo o princípio da subsidariedade a todos e a cada um em particular. Para que haja paz é fundamental que as questões ambientais não sejam adiadas “ ad aeternum “ e que haja  um empenhamento e uma preocupação de todos em manter o equilíbrio ecológico

 

 

FRANCISCO  MARTINS

 

publicado por pontodemira às 19:19
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Democracia, populismo e x...

. Democracia,populismo e xe...

. Os incêndios florestais (...

. Os grandes filósofos: Mar...

. Os Grandes filósofos: Ben...

. Os incêndios florestais

. O Euro- como moeda única ...

. O Papa Francisco peregrin...

. O terrorismo

. As baboseiras do Sr. Jero...

.arquivos

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds